Erros dos alunos: corrigir ou não? Eis a questão!

Image for post
Image for post

Um dos principais dilemas dos professores de idiomas que trabalham com a abordagem comunicativa é a correção de erros. É sempre complicado saber quando e se corrigir os alunos e como proceder. Se identificou? Então continue aqui por mais alguns minutos

A primeira coisa que me vem à cabeça quando eu penso em correções é: qual é a minha intenção ao corrigir e qual é o objetivo da atividade que o aluno está desenvolvendo? O que eu quero dizer com isso é: eu espero que ele consiga comunicar da forma mais fluente possível ou a finalidade é obter uma resposta correta? Se a atividade for para praticar a fluência, tomar nota e comentar os erros posteriormente pode ser mais interessante do que interromper o aluno a cada dois minutos, certo? Mesmo quando você precisa que esse estudante acerte, é preciso escolher a hora de corrigir e qual técnica usar.

Para as duas situações, existem algumas estratégias de correção bastante usadas e que pode ajudar os professores a definir qual seria a intervenção mais adequada para aquela aula e para aquele(s) aluno(s). Vamos a elas:

Promover a autocorreção — para que o seu aluno consiga perceber o erro que cometeu, você vai ter que dar uma forcinha: peça para ele repetir ou reformular o que falou. Provavelmente ele vai perceber que fez alguma coisa estranha. Ainda é possível solicitar que ele consulte o material e encontre a resposta certa.

Pedir a opinião do colega — pergunte a outra pessoa da turma se ele ou ela concorda com a resposta que o aluno deu e aproveite para problematizar. Se o colega concordar com o erro, tente mais um ou comece a dar hipóteses.

Indicar o tipo de erro — você pode dizer se foi o seu aluno escorreu na pronúncia, na gramática, se trocou o tempo verbal etc.

Fazer piadas ou expressões faciais de estranhamento — principalmente quando o aluno usa um falso cognato é possível transformar o erro em uma situação engraçada. Trocar exquisito por gostoso, oficina por escritório, pretender por fingir, entre tantos outros .Atente-se apenas para não constranger a pessoa.

Combinar um gesto para erros — pode ser levantar a mão, o dedo, tossir. É possível também fazer um post it que indique um erro e sempre apontar para ele quando o equívoco se realizar.

Written by

Cursos sobre metodologias e mentorias para você ser livre, independente e escolher os alunos que quer atender

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store